A Velhice em Diferentes Gêneros Literários

Para curso ou oficina de formação de leitores.

SebastiaoSalgadoTerraIntrodução

A vida humana pode ser dividida em três grandes estágios: infância, maturidade e velhice. Desse ponto de vista biológico, como uma árvore, nascemos, crescemos, atingimos o apogeu e definhamos até a morte. Tal esquema simplista jamais nos contentou, daí artistas, filósofos e pensadores discutirem ética e socialmente as idades do homem. Procuram, talvez, responder à seguinte questão: preferimos ser chamados de “velhos” ou de “jovens”? Por que hoje o adjetivo “velho” costuma desqualificar e o “jovem” qualificar?

Para Aristóteles, o velho é um pessimista na essência. Pela experiência dos anos, sabe que é maior a possibilidade de fatos ruins, acha que as coisas tendem para o pior, por isso se acovarda face ao novo. Ao contrário do jovem, tem pouca esperança no futuro, prefere recordar o passado. Ora, na conferência O Envelhecimento, de Paulo Gaudêncio, reafirmam-se essas idéias, mas com uma diferença. O psiquiatra descola “velhice” e “juventude” do ciclo biológico, transforma-as em conceitos fora do tempo. “Velho” passa, assim, a significar qualquer indivíduo que estaciona em verdades, que estrutura uma idéia fechada sobre algo. Já o “jovem” é alguém que caminha com as verdades, tem coragem de abandonar as idéias formadas para seguir em frente.

Tarefa

Textos literários frequentemente se interessam pela velhice, a qual pode representar sabedoria, superioridade, tradicionalismo dentre outros. Consegue, ainda, simbolizar uma culpa, uma memória indesejável, a voz da experiência, a voz da covardia ou um sistema político-econômico a ser superado.

Em grupos de 5 alunos, discutam o assunto a partir de quatro fontes literárias. Para o trabalho, selecionei textos de épocas diversas, de gêneros literários diferentes: lírico-cancional, épico, trágico e romanesco. Em seguida, desenvolvam um artigo com no mínimo 5 páginas que comente e compare como cada texto apresenta o tema “velhice”.

Processo

1ª. Etapa:

Ler e fichar as referências teóricas indicadas sobre alguns gêneros literários. Data de entrega: xx/xx/20xx.

2ª. Etapa:

Ler e fichar as referências literárias indicadas. Data de entrega: xx/xx/20xx.

3ª. Etapa:

Cada membro do grupo responsabiliza-se por uma das fontes indicadas. Data de entrega: xx/xx/20xx.

4ª. Etapa:

Cada membro redige um texto que comente e compare as apropriações do tema “velhice”. Data de entrega: xx/xx/20xx.

5ª. Etapa:

Redação final do artigo. O grupo organiza o texto com a estrutura 1) introdução, 2) comentários sobre os textos literários e 3) considerações finais. Data de entrega: xx/xx/20xx.

Recursos

ARISTÓTELES. Retórica. Tradução e notas de Manuel Alexandre Júnior, Paulo Farmhouse Alberto e Abel do Nascimento Pena. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1998.

ASSIS, Machado de. “Capítulo I e II”, in Dom Casmurro. São Paulo: Globo, 1997. On-line:

http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=2081 Acesso: 14abr2008.

CAMÕES, Luís de. “Canto Quarto – O Velho do Restelo, estrofes 84 a 104”, in Os Lusíadas. São Paulo: Abril Cultural, 1979. On-line: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=1870 Acesso: 14abr2008.

GAUDÊNCIO, Paulo. O Envelhecimento. São Paulo: CPFL/TV Cultura/Logon, 2007. On-line: http://www.cpflcultura.com.br/2008/12/30/o-envelhecimento/ Acesso: 14abr2008.

LUKÁCS, Georg. A Teoria do romance. Tradução, notas e posfácio José Marcos Mariani de Macedo. São Paulo: Duas Cidades / Editora 34, 2003.

SÓFLOCLES. “Rei Édipo – Primeiro diálogo da peça, entre Édipo e o Sacerdote”. Tradução de J. B. Mello e Souza In Teatro grego. Rio de Janeiro: W. M. Jackson, 1953. On-line: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=2255 Acesso: 14abr2008.

SALGADO, Sebastião. Terra. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

STAIGER, Emil. “Estilo lírico, Estilo Épico e Estilo Dramático”, in Conceitos fundamentais da poética. Tradução de Celeste Aída Galeão. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro, 1972.

VELOSO, Caetano. “O Homem velho”, in Velô. Rio de Janeiro: Polygram, 1984. On-line: http://www.caetanoveloso.com.br/discografia.ph Acesso: 14abr2008.

Avaliação

Monitoro e facilito o andamento que cada membro ou grupo imprime a este desafio de aprendizagem. A nota final (10,0) compõe-se de:

Avaliação do processo (80% da nota):

- Cada uma das quatro etapas iniciais é monitorada. Espera-se, portanto, que sejam desenvolvidas progressivamente, jamais de última hora e ao mesmo tempo;

- Valoriza-se o envolvimento do grupo, a capacidade de colocar e superar desafios, a qualidade das dúvidas, impasses e reflexões;

- Cada uma das quatro primeiras etapas vale 2,0 pontos cada.

Avaliação final (20% da nota):

- Avaliação da 5ª. etapa;

- Competência metodológica e normativa;

- Estabelecimento de conexões;

- Interpretação e diferenciação de objetos artístico-literários;

- Mobilização de novas informações.

Conclusão

Existem assuntos adequados a um soneto, outros só possíveis num romance, mas há matérias que perpassam qualquer gênero literário, os chamados temas universais. Cada gênero possui maneiras específicas de tratar esses e outros tantos assuntos semelhantes ou idênticos. O estudioso ou interessado em literatura, inclusive o tradutor de textos literários, devem estar sempre atentos a essas peculiaridades.

Créditos & Referências

WebQuest de Pedro Marques adaptado ao modelo de Barnie Dodge (http://webquest.org/index-create.php).

 

Pedro Marques
14 out. 2012

 

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on Google+Share on LinkedIn